Sistema Endócrino

Noemi dos Santos Gois - Primeiro Ano Ciências Biomédicas UNIFESP 2006 - Disciplina Informática em Saúde

bio n

   O sistema endócrino é formado por várias glândulas que estão localizadas em diversos lugares do corpo. As glândulas endócrinas participam da regulação das atividades do corpo, produzindo hormônios.

    Ao contrário das glândulas exócrinas, cujas secreções são transportadas até seu sítio de ação por ductos, as glândulas endócrinas não possuem ductos, são glândulas de secreção interna, liberando seus produtos diretamente na corrente sangüínea.
   As principais glândulas endócrinas são hipófise, tireóide, paratireóides, supra-renaispâncreas e gônadas. Há outras estruturas , tais como a glândula timo, o tracto gastrointestinal e a placenta, que contêm células produtoras de hormônios, e, portanto, exibem atividade endócrina.

 

Hipófise

    Pelo fato de seus hormônios regularem várias outras glândulas endócrinas e afetarem diversas atividades corpóreas, a hipófise, ou glândula pituitária, tem sido chamada de “glândula mestra”. Localizada abaixo do cérebro, é rodeada pela sela turca do osso esfenóide.
  Hormônios da neuro-hipófise: Vasopressina ou hormônio antidiurético (ADH) - aumenta a permeabilidade das estruturas renais formadoras de urina, provocando maior reabsorção de água e eliminação de menor volume de urina. Tem papel vasoconstritor que deve-se a uma ação direta sobre os músculos lisos das paredes dos vasos sangüíneos. É liberada quando há um aumento da pressão osmótica do sangue ou quando há uma diminuição da pressão arterial.
Oxitocina – provoca contração da parede do útero, e a ejeção do leite pelas glândulas mamárias. Age na contração dos músculos lisos da parede do útero e células mioepiteliais responsáveis pela ejeção do leite
   Hormônios da adeno-hipófise: Hormônio Somatotrófico - é importante na indução e na regulação do crescimento dos vertebrados. A deficiência desse hormônio (Hipossomatotrofismo) desde a infância leva ao aparecimento do nanismo.O excesso do hormônio de crescimento induz à acromegalia no adulto, com crescimento exagerado dos ossos dos membros e da face e aumento dos órgãos e músculos.
Hormônio Tireotrófico (TSH) - A tireotrofina atua estimulando a tireóide na captação de iodo do plasma e na produção de seus hormônios (Tiroxina e Triiodotironina), bem como na sua liberação ao sangue.
Hormônio Adrenocorticotrófico (ACTH) - O ACTH atua como estimulante da secreção e liberação de glicocorticóides pelo córtex da glândula supra-renal ou adrenal.

Hormônios Gonadotróficos :A hipófise produz três hormônios que controlam a atividade das gônadas e órgãos sexuais. No caso da fêmea, intervém no ciclo, menstruação, ovulação, gravidez e lactação.
- Folículo estimulante (FSH) - atua estimulando o crescimento do epitélio do túbulo seminífero, com espermatogênese.
- Hormônio luteinizante (LH): responsável pela formação do corpo lúteo na mulher. Estimula a atividade das células de Leydig, que produzem a testosterona no homem.
- Luteotrofina ou prolactina (LTH), mantém o corpo amarelo e estimula a contínua produção de seus hormônios; tem ação no desenvolvimento das mamas e interfere na produção do leite.       

 

: : :  hipófise  : : :

 

jj

Tireóide

    Localiza-se sobre os primeiros anéis da traquéia. Apresenta 2 lobos constituídos por tecido glandular endócrino e ligados por um istmo.
Produz tiroxina e triiodotironina. Ambas são liberadas na corrente sangüínea sob a estimulação de tirotrofina (TSH), hormônio produzido pela adenoipófise, e estimulante da tireóide. Este hormônio estimula a captação do iodo pelas células dos folículos da tiróide e aumenta o tamanho e atividade das células secretoras. A tireotrofina acelera a síntese dos hormônios da tireóide e sua liberação no sangue.
                 Os hormônios da Tireóide estimulam as reações químicas (metabolismo) da maioria dos tecidos do organismo e acelera o metabolismo dos carboidratos, dos lípides e das proteínas; tem função importante no crescimento e desenvolvimento influindo, inclusive, no ciclo menstrual e na fertilidade.
                 Hipotireoidismo - No adulto traz como efeitos fisiológico mais evidentes a queda da frequência cardíaca, apatia, aumento de peso, engrossamento e tumefação da pele (mixedema).
                 Hipertireoidismo – o indivíduo apresenta intolerância ao calor, metabolismo basal alto, aumento da frequência cardíaca, perda de peso, tremor nas mãos e perturbações psíquicas. Na maioria dos indivíduos ocorre protusão dos globos oculares.
                 O bócio (papo) é um aumento de volume da tiróide em decorrência de hipo ou hiperfuncionamento da glândula. Pode ser endêmico, como resultado da falta de iodo em determinadas áreas geográficas.

 

Paratireóides

  Apresentam-se como dois pares de glândulas ovóides que pesam cerca de 140 mg no homem. Estão localizadas na face posterior na Tireóide.
O paratormônio ou hormônio das paratireóides mantém constante a relação entre cálcio e fósforo no plasma, aumenta a eliminação de cálcio e do fósforo pela urina e mobiliza o cálcio dos ossos; favorece também a absorção de cálcio pelo intestino, porém, neste caso, é indispensável a presença da vitamina D.

        

Supra-renais ou adrenais

    São duas glândulas endócrinas localizadas na região súpero-lateral dos rins. Estruturalmente, revelam uma região mais externa que é o córtex adrenal, e uma outra região mais interna, a medula adrenal.
 O córtex produz:
Mineralocorticóides - atuam na reabsorção tubular de sódio, cloro e potássio.
Glicocorticóides - atuam no metabolismo dos açúcares.
Androgênios - hormônios masculinos que se decompõe quando metabolizados pelo organismo, originando alguns hormônios femininos.
   A medula produz:
Adrenalina ou epinefrina - hormônio que facilita a passagem do estímulo nervoso em nervos do sistema simpático. Por isso a atividade deste hormônio produz uma resposta imediata dos nervos simpáticos, com vasoconstricção periférica (o indivíduo fica pálido), taquicardia ( o coração bate mais depressa), aumento da pressão arterial e excitabilidade.

pp

 

çç

Pâncreas

   O pâncreas é uma glândula mista, ou seja, apresenta uma parte endócrina (ilhotas de Langernhans) que produz insulina e glucagom e uma parte exócrina que produz o suco pancreático.
    Insulina - é um hormônio que interfere no metabolismo dos açúcares (carboidratos), controlando o nível de glicose no sangue. Controla a produção de glicogênio pelo fígado e estimula o consumo de glicose pelos tecidos, aumentando a permeabilidade através das membranas celulares a esta substância. O tecido cerebral constitui uma exceção, pois a entrada de glicose dá-se por difusão. Devido a este estímulo ao consumo de glicose, pelos tecidos, diminui a mobilização de gorduras e proteínas e a sua utilização como fonte energética. O hipoinsulinismo provoca uma doença denominada Diabete mellitus. A insulina é secretada pelas células b das ilhotas de Langerhans do Pâncreas .
    Glucagon - possui uma ação antagonica à insulina, fazendo aumentar a glicemia. Estimula a glicogenólise no fígado e a liberação de glicose no sangue. A secreção é controlada pelo nível de glicose sangüínea. A queda do nível de glicose determina a liberação de Glucagon que, por sua atividade, restabelece a glicemia normal. O glucagom é secretado pelas células a das ilhotas de Langerhans do Pâncreas.

 

Ovários

   Estrógenos - os estrógenos são hormônios esteróides. São secretados constantemente e seu nível apresenta variação nas diferentes fases da vida. Durante a fase embrionária têm ação principalmente no desenvolvimento do útero e da vagina. Do nascimento até a puberdade a sua secreção é pequena porém a partir da puberdade nota-se um acentuado aumento na sua secreção devido à estimulação por hormônios da hipófise. Agem, principalmente, estimulando o desenvolvimento dos órgãos sexuais e também dos caracteres sexuais secundários.
   Progesterona - a progesterona é um esteróide que prepara o organismo feminino para a gestação. Prepara o endométrio (mucosa uterina) para a fixação do embrião, participando na origem da placenta (que é importante na nutrição do embrião).
  Andrógenos - os andrógenos são esteróides. Têm ação masculizante; são produzidos normalmente, em pequenas quantidades, pelo ovário e pela supra-renal.
   Gonadotrofinas Coriônicas - impede a involução normal do corpo amarelo (lúteo) que, portanto, permanece secretando seus hormônios durante a gravidez.

ioio

 

Testículos

                     Produz a testosterona responsável pelo aparecimento das características sexuais masculinas.

 

Bibliografia:

Spence, Alexander P. Anatomia humana básica.ISBN 85-204-0003-5

Créditos:

www.afh.bio.br/endocrino/endocrino1.asp

www.reforcofederal.hpg.ig.com.br

www.webciencia.com

www.hub.unb.br/images

www.odontodicas.hpg.ig.com.br/ tireoide_2.jpg

Links:

www.msd-brazil.com/msdbrazil/corporate/index.html - Manual Merck

www.afh.bio.br/endocrino/endocrino1.asp

www.reforcofederal.hpg.ig.com.br

www.webciencia.com

www.hub.unb.br

www.odontodicas.hpg.ig.com.br